Páginas

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

CARLA CAMURATI TROPEÇA NA COMUNICAÇÃO

Profissionais em posição de liderança, com exposições frequentes na imprensa, ou aqueles que geralmente são consultados para opinar sobre suas áreas de atuação têm que ser treinados por gente especializada.

Treinamento, reforço, prática: fonte bem treinada garante que a mensagem chegue com nitidez, clareza e minimiza riscos. Em qualquer área, seja ela corporativa, artística, governamental, etc.

Esse preâmbulo foi para comentar a entrevista de Carla Camurati, presidente da Fundação Theatro Municipal, e que acompanhou por quase três anos a reforma do Teatro Municipal do RJ.

Parte do gesso do hall do teatro desabou ontem, ao final da premiação dos melhores do Campeonato Brasileiro de Futebol.

Na entrevista Carla diz que o acidente ocorreu porque houve excesso de ruído, que reverberou de forma muito intensa, fazendo o gesso desabar.

Carla poderia ter dito qualquer outra coisa, menos isso, porque num teatro os ruídos, barulho e grande fluxo de pessoas são matéria-prima que o faz funcionar. Evidentemente ela não estava preparada para uma crise dessa proporção. Não foi treinada, possivelmente confiante de sua experiência à frente e atrás das câmeras.

Como se viu, não é suficiente. Treinamento, reforço e prática são essenciais para que se evite esse tipo de escorregão.

Não se concede uma entrevista no calor de um acidente sem preparação, sem bater bola com a assessoria de imprensa. Ela poderia ter dito que já determinou uma minuciosa apuração; que a empresa que realizou o serviço já foi acionada para explicar; que está aguardando o laudo da perícia etc, etc, etc. Foi precipitada e disse exatamente o jamais poderia ter dito, pois um teatro sem ruído não é teatro. Essa resposta seria aceitável para um templo, nunca para um teatro.

Como presidente da entidade e empenhada durante tanto tempo na restauração do Teatro Municipal do RJ, Carla deveria ter sido submetida com certa regularidade a media-training, ferramenta que treina pessoas como ela, executivos e governantes a se relacionarem com a imprensa ou outros públicos estratégicos, de forma a passarem a mensagem mais adequada para cada tipo de circunstância.

Mais uma vez, tudo foi pensado na magnânima obra de restauro, exceto na comunicação. Opsss, esqueceram também da qualidade do gesso!

4 comentários:

Carlos de Souza Teixeira disse...

Lamento este fato, afinal sou fã do imenso serviço que a Carla tem dedicado ao Brasil recentemente.
Uma breve sugestão ao texto: nem mesmo em templos este tipo de resposta seria aceitável pois, ao menos aqui em nosso País, são frequentes altas doses de barulho em diversos templos religiosos, basta frequentá-los.

Anônimo disse...

Só um detalhe, o Theatro foi concebido para artes clássicas onde a música é propagada de forma acústica. Ele não está preparado para ser bombardeado por amplificação eletrônica que superam em muito o nível de ruído considerado salutar.

Lucas disse...

A senhora CARLA CAMURATI atribuiu ao excesso de ruido a queda o teto do Teatro Municipal de Rio de Janeiro, acho isso uma pena mesmo, privar os Cariocas de obras consagradas do repertório operistico e sinfônico em detrimento da preservação do tão famoso TETO. Pena que não será mais visto ou ouvido peças , só pra citar algumas, de grande impacto sonoro e de inegável beleza; ja imaginaram ouvir a Abertura 1812 de Tchaikovsky no seu gran finale onde se ouve sons de sinos de igreja e tiros de canhão ou na grande ópera de Verdi a AIDA onde no segundo ato temos a grande marcha, quando entra em cena o herói RADAMES seguido de guerreiros, escravos, cavalos, grande coro , fico pensando em como seria ouvir tudo isso baixinho para não afetar o nosso precioso TETO,quanto bobagem se diz não ?

Anônimo disse...

PRA MIM CHEGA!

CHEGA DE CARLA CAMURATI E ROBERTO MINCZUK NO THEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO!

CHEGA DE ADRIANA RATTES NA SECRETARIA DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO!

CHEGA DE SÉRGIO CABRAL NO GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO!

ELES NÃO GOVERNAM PARA O POVO, MAS SÓ PARA ELES MESMOS E SÃO AUTORITÁRIOS!